domingo, novembro 14, 2010

TRIDUO EM PREPARAÇÃO A DEDICAÇÃO DA IGREJA MATRIZ



1º DIA DO TRIDUO - MISSA VOTIVA A SÃO ZIGMUNT FELINSKI, RELIQUIAS DO SANTO SERÁ DEPOSITADA NO ALTAR DA IGREJA NO DIA DA DEDICAÇÃO.


Zygmunt Felinski nasceu no dia 1.º de novembro de 1822, em Wojutyn - Polônia. Viveu numa família profundamente cristã e ali aprendeu o verdadeiro amor a Deus, ao próximo e à Pátria.
Depois de lutar corajosamente no Levante em defesa da Pátria e de ter perdido o seu melhor amigo, Júlio Slowacki, refletiu profundamente: será que sua Pátria não necessitava de outro trabalho ou sacrifício? A partir daí, busca um caminho para melhor servir a Deus e à Pátria.
Ingressou no Seminário em 1851, em Petesburgo - Rússia, e, em 1855, foi ordenado Sacerdote na Catedral de Moscou.
Percebendo a situação das crianças abandonadas, doentes e velhinhos, fundou, para cuidar deles, a Congregação das Irmãs da Sagrada Família, em 1857.
Em 1862, foi nomeado Arcebispo de Varsóvia. Não foi bem recebido pelo povo, que o chamava "espião da autoridade russa". Apesar de tudo, sempre lutou em favor do povo, como pastor, defensor até às últimas conseqüências. Por ter se posicionado contra o governo russo em favor do povo, foi condenado ao exílio na Sibéria, por 20 anos, tendo governado apenas 16 meses a sua arquidiocese, no memento em que já tinha conquistado o povo.
No exílio, dedicou-se à oração e ascese pessoal, pastoreio e prática de caridade ao povo sofrido e também exilado, que a ele recorria em suas desventuras.
Regressando do exílio, foi-lhe proibido regressar à sua Pátria, e, por isso, fixou residência na Galícia, dominada pela Áustria, onde se dedicou à Congregação que fundara e ao bem-estar do povo.
Em 1895, sentindo-se fraco e doente, procurou amparo médico em Kracóvia, onde veio a falecer no dia 17 de setembro, em opinião de santidade.
Dom Zygmunt se destacou pela sua dedicação e amor à Igreja, no cumprimento fiel às suas normas e preceitos, no zelo pastoral e grande amor pela família ao ponto de dizer: "Só no céu há mais felicidade do que no seio de uma família". Viveu intensamente as obras de misericórdia, procurando o bem-estar do pobre e abandonado. Foi um grande devoto de Nossa Senhora.
No dia 18 de agosto de 2002, em Kracóvia, foi declarado Bem-Aventurado pelo Papa João Paulo II. E no dia 11 de outubro deste anos, foi canonizado em Roma, pelo Papa Bento XVI.
A Igreja tem mais um intercessor e modelo a ser imitado não só pelos Sacerdotes e Religiosos, como também pelos pais, educadores, jovens e todos os que sofrem e são perseguidos.


http://www.irmas-sagradafamilia.org.br/fundador.htm