sábado, outubro 30, 2010

DEDICAÇÃO DA IGREJA MATRIZ DE NOSSA SENHORA DA VITÓRIA SÃO CRISTÓVÃO/SE 18 DE NOVEMBRO DE 2010


 
Tríduo
15 de novembro – Igreja do Amparo
18h30 – Oficio de Vésperas da Dedicação de uma Igreja
19h - Missa
16 de novembro – Igreja São Francisco
18h30 – Oficio de Vésperas da Dedicação de uma Igreja
19h - Missa
17 de novembro – Igreja do Carmo
18h30 – Oficio de Vésperas da Dedicação de uma Igreja
19h – Missa


SOLENIDADE
18 de novembro – Matriz
18h30 – Cerimonial de entrega da obra de restauração e conservação da Igreja Matriz - IPHAN/SE
19h – Missa Solene de Dedicação da Igreja Matriz presidida pelo Exmo. Revmo. Dom Henrique Soares da Costa, Bispo auxiliar de Aracaju
Esta casa eu escolhi e santifiquei, para nela estar meu nome, para sempre”.

quarta-feira, outubro 27, 2010

BEATA DULCE




O cardeal arcebispo de Salvador (BA), dom Geraldo Majella Agnelo anunciou, na manhã desta quarta-feira, 27, a beatificação da irmã Dulce. O pronunciamento foi feito na sede das Obras Sociais Irmã Dulce, em Salvador, e o cardeal informou que até o fim do ano será conhecida a data da cerimônia de beatificação.
Para ser considerada beata, foi necessária a comprovação da existência de um milagre atribuído a religiosa; fato que aconteceu esta semana em Roma. O processo ainda precisa ser assinado pelo papa para ser concluído.
De acordo com dom Geraldo, a religiosa é exemplo para os cristãos e a sua história de vida é o que justifica a beatificação e o processo de canonização. “Todo santo é um exemplo de Cristo, como foi o caso dela (Irmã Dulce); aquela dedicação diuturna durante toda a vida aos pobres e sofredores”.
Irmã Dulce é a primeira baiana a tornar-se beata e agora está a um passo da canonização. O título de santa só poderá ser conferido após a comprovação de mais dois milagres intercedidos pela religiosa e reconhecidos pelo Vaticano.
A causa da beatificação de Irmã Dulce foi iniciada em janeiro do ano 2000 pelo próprio dom Geraldo Majella. Desde junho de 2001, o processo tramita na Congregação para a Causa dos Santos no Vaticano.

terça-feira, outubro 12, 2010

Nossa Senhora Aparecida





Porque o Brasil, o país mais católico da atualidade não tem direito de ter sua padroeira?

Nossa Senhora Aparecida tem sido, para muitos de nosso povo, inspiração de um estilo de vida solidária, fraterna, de atenção e acolhida ao outro, especialmente, aos mais pobres. Sua presença e devoção têm sido um elo de união e de integração entre todas as etnias, e nunca de divisão.

Esporadicamente, aparecem oportunistas e com interesses escusos, questionando o título de “Padroeira do Brasil”, dado pela Igreja a Nossa Senhora Aparecida e acolhido calorosamente pelo povo brasileiro. A iniciativa de propor à Câmara Federal retirar este título é descabida, pois não foi ela quem o outorgou a Nossa Senhora Aparecida, além de tal proposta ofender o sentimento religioso do povo brasileiro, e em nada contribuir para tornar melhor a vida de nosso povo; antes muito pelo contrario, Nossa Senhora Aparecida é a Rainha e a Padroeira do Brasil por  proclamação da Igreja e do povo brasileiro!

Dom Raymundo Damasceno Assis