quinta-feira, julho 30, 2009

FORMAÇÃO:"Namoro saudável, casamento estável."



Contrario ao que a mídia ensina o namoro não e o tempo para iniciar a vida sexual. O sexo tem duas finalidades: unitiva e procriativa, ou seja, unir o casal num ato concreto de amor para que seja gerado o fruto desse sentimento. E, portanto, a igreja não permite outra maneira de gera à vida humana.
No plano de Deus, o sexo é a manifestação do amor de um casal, cujo fruto será um filho (CF. Gn. 17.16).
Na união dos corpos é celebrado profundamente o amor de um pelo outro: a compreensão, o perdão dado, a paciência exercida, o dialogo mantido, as lagrimas derramadas... É a consolidação da aliança (casamento).
Segundo o professor Felipe Aquino, um dos maiores estudiosos da igreja católica, doutorado em teologia e apresentador da TV canção Nova, afirma também que a Igreja ensina que o Ato sexual, para não ser desvirtuado deve estar sempre aberto à geração da vida sem que sejam usados meios artificiais. Sabemos que o ato sexual gera um novo ser humano, este precisa ser acolhido, ter um lar com os pais e, portanto, nem o namoro, nem o noivado possuem estrutura familiar suficiente, ou melhor, não foi firmado um compromisso “até que a morte os separe”. É por isso que o sexo não deve ser vivido no namoro, nem no noivado.
Se eu comer uma maçã, por exemplo, ainda verde, certamente vai causar mal-estar, assim também se eu iniciar a vida sexual antes do casamento, em vez de ter “alegrias” terei problemas. São Paulo diz que o corpo do homem é para a sua esposa... (I Cor 7.4) ele não diz que o corpo do homem é para a sua namorada, nem a mulher é para o seu noivo e sim para o seu marido. Nós jovens Cristãos precisamos entender que se desejamos construir uma família bela em deus, precisamos esperar o casamento para a vida sexual.
Se a mídia, a cultura (incultura) enfim o mundo nos ensina, nos incentiva a avançar o sinal vermelho, nos oferece “a maçã Caramelada” do pecado, vale lembrar que maçã caramelada dá uma dor de barriga...!
“O casamento começa no namoro; logo é importante que seja puro para que o futuro seja feliz”. (prof. Felipe Aquino)
AUTOR: ERIOSVALDO SANTOS FRANÇA

REFLEXÃO:“Senhor dá-nos sempre desse pão”.


“Senhor dá-nos sempre desse pão”.

Naqueles dias, aos redores do mar da Galileia, Jesus viu que uma multidão faminta (em todos os sentidos) o seguia. Com o Milagre da multiplicação dos pães e dos peixes, o desejo do senhor, prefigurado naquela ocasião era, ou melhor, é alimentar a humanidade. É lindo percebe como é grandioso esse desejo, o que Jesus, figura humana do divino amor de Deus não sentiu quando em cafarnaum, alguém pediu-lhe: “Senhor, dá-nos sempre desse pão”? É esplêndido! As dores da cruz não fizeram cessar o imenso que Nosso Senhor tinha em nos saciar de corpo, alma e espírito, pelo contrario, seu querer transpassou a cruz e nem aquele túmulo de pedra tampouco a morte puderam contê-lo.
E mais uma vez, a humanidade simbolizada naqueles dois discípulos de Emaús insiste: “Fica conosco...” (Lc. 24.29) e Jesus responde antes de voltar ao Pai dizendo: “eis que estarei convosco até o fim!” (Mt.28.20)
A Santa Missa é uma confirmação concreta de Suas últimas palavras, Vê-lo sendo levado pelo padre no cibório a tantas pessoas é o momento mais sublime. Ainda assim, depois de tudo, Jesus encontra a insensibilidade dos homens. Fazendo-se pobre pequenino encerra-se no altar e mesmo, muitas vezes, encontrando indiferença nas pessoas espera cada um de nós, alguém que O receba não simplesmente como pão, mas como o único e verdadeiro alimento que oferece a Vida Eterna.
“Diz aos homens que na hora da Santa Ceia, não podendo conter o fogo que me consome, inventei esta maravilha do Amor que é a Eucaristia. Porque a Eucaristia é a invenção do amor! É por amor às almas que sou prisioneiro na Eucaristia...” (Cf. “Jesus Cristo Conosco na Eucaristia”, pag. 8 e 9).

AUTOR:ERIOSVALDO SANTOS FRANÇA

segunda-feira, julho 27, 2009

Aconteceu na comunidade: I Encontro da Pastoral da Criança


“Unidos no amor e na paz”
A Pastoral da Criança em nossa Cidade realizou no dia 26 de Julho (domingo) o Primeiro encontro de equipes que assistem as comunidades carentes do Loteamento Lauro Rocha e Alto Santo Antônio, sendo este último o local de início da “Celebração da Vida”.
Aproximadamente quinze voluntários líderes e apoio receberam cerca de vinte e duas famílias. Ao todo são mais de cento e oitenta crianças cadastradas e acompanhadas mensalmente nessas comunidades.
Foram realizadas atividades recreativas, momento de evangelização, oração e palestras para os pais. Depois do lanche encerramos com a celebração na Capela Nossa Senhora da Assunção, presidida pelos Frades Carmelitas ali presentes.

quarta-feira, julho 22, 2009

Pensamento:"É só isso que temos"

Certa criança gostava de ir à igreja várias vezes durante a semana. Sua maior felicidade era estar presente nas Missas. Era assídua aos domingos, porém uma coisa lhe entristecia o coração: Na hora do ofertório, ela observava todos que estavam a sua frente se dirigirem à cesta onde lá depositavam alguma coisa, só não sabia o quê, contudo, abria suas delicadas mãos e percebia que nada tinha para ofertar ao Senhor. Isso se repetiu inúmeras vezes. Incomodada com os repetidos episódios, certa vez saiu a caminhar no campo logo pela manhã. Passou longas horas selecionando e catando pedrinhas... Eram consideradas por ela as mais perfeitas. Ao chegar em casa, sua mãe perguntou:

- Onde você estava minha filha?

- Estava procurando um presente para Deus! Disse a menina com entusiasmo.

Já na Missa, a menina estava radiante de alegria e, quando percebeu que todos se dirigiam ao ofertório, humildemente abriu suas delicadas mãos e nelas havia duas pedrinhas brancas e redondas e pensou: “É só isso que tenho Senhor, mas te dou com muito amor!”

Para aquela menina, aquelas pedras que ofertara não eram simples e somente isto, valia muito mais, pois ao Senhor ofertou o seu melhor.

Com esta breve história podemos perceber que o mais importante não é a quantidade, mas a qualidade com que se é dado. Quer sejam “dois peixes ou cinco pães”, se entregamos a Deus com muito amor, Ele multiplicará.



Por Eriosvaldo França

terça-feira, julho 21, 2009

Procissão dos Motoristas


A cidade de São Cristóvão irá celebrar o Dia dos Motoristas, com a tradicional Procissão dos Motoristas.


O cortejo começa na quinta-feira,23, às 17 h, quando duas imagens do santo protetor dos viajantes saíram do Sindicato dos Motoristas Rodoviários, passando pelo Sindicato dos Taxistas de Aracaju, em direção ao Convento do Carmo,devido as reformas na Igreja da Matriz Nossa Senhora da Vitória, de São Cristóvão, onde os santos serão recepcionados.

No domingo, a solenidade continua com a Missa de São Cristóvão, prevista para o domingo às 15 h. Depois acontece a tradicional benção dos veículos e procissão.

segunda-feira, julho 13, 2009

Encontro de Padres Canonistas, tem Missa de Encerramento em São Cristóvão

XXIV ENCONTRO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE CANONISTAS
XXVI ENCONTRO DOS SERVIDORES DOS TRIBUNAIS ECLESIÁSTICOS DO BRASIL

de 13 a 18 de julho de 2009, Ano Sacerdotal, em ARACAJU - SERGIPE - BRASIL

"A PAZ É FRUTO DA JUSTIÇA" (Is. 32,17)


Fonte: http://www.infosbc.org.br/ (toda a programação no site)

16:00h - Saída para São Cristóvão - SE (Cidade Histórica)

18:00h - Concelebração Eucarística - Convento São Francisco

segunda-feira, julho 06, 2009

Nota da CNBB sobre a Corrupção

A transparência, a coerência e a honestidade, são valores que aprendemos na educação ética. Desde tempos imemoráveis a humanidade codificou os mandamentos de Deus que foram acolhidos na Bíblia Sagrada como escola de vida pessoal e social. Os Dez Mandamentos defendem a vida, a verdade, a liberdade e a convivência humana.

De modo especial o sétimo e décimo mandamentos proíbem o roubo, a corrupção e exigem a restituição do que foi usurpado. O destino dos bens da terra é universal, é para todos. A corrupção é uma das piores deformações da sociedade. Ela começa porém no coração.

Atualmente estamos passando por uma situação de denuncias de corrupção nos âmbitos do s Poderes constituídos. A CNBB publicou uma Nota a respeito destas questões com o título: “Superação da corrupção na política: salvaguarda da ética e da democracia”. Vamos agora conhecer a referência Nota que aqui transcrevemos:

“Na verdade, a raiz de todos os males é o amor ao dinheiro” (1Tm 6,10).

Nós, membros do Conselho Permanente da Conferencia Nacional dos Bispos do Brasil - CNBB, reunidos em Brasília, nos dias 16 a 18 de junho de 2009, manifestamos indignação diante das repetidas acusações de corrupção nas instancias dos Poderes constituídos. A corrupção e a decorrente impunidade constituem grandes ameaças ao sistema democrático.

A corrupção aumenta o fosso das desigualdades sociais, como também a miséria, a fome e a pobreza. Além de ferir gravemente o princípio do destino universal dos bens, raramente se tem notícias sobre a restituição dos recursos e bens públicos usurpados. A corrupção trai a justiça e a ética social, compromete o funcionamento do Estado, decepciona e afasta o povo da participação política, levando-a ao desprezo, perplexidade, cansaço, revolta, e ao descrédito generalizado, não somente pelos políticos, mas também pelas Instituições Públicas.

A imprensa nacional e os órgãos públicos competentes têm divulgado a prática de comprovada corrupção nos meios políticos como um círculo vicioso, um hábito enraizado na inversão dos meios e do fim da “coisa pública”. Ao mesmo tempo em que a mídia funciona como caixa de ressonância, denunciando os males presentes na vida política, muitas vezes pode semear na opinião pública a idéia da inutilidade do Congresso, desvalorizando a democracia.

Diversas instâncias da sociedade civil já é se manifestam em favor da reforma política para, entre outros objetivos, sanar os males da corrupção sedimentados na vida pública. A Igreja quer contribuir para o bem comum, lembrando as exigências éticas do Evangelho. A política é um serviço ao bem comum, na construção da sociedade justa, fraterna e solidária. Os políticos sejam pessoas dotadas de virtudes sociais, como competência, retidão, transparência e espírito de serviço, sendo os primeiros responsáveis pela ordem justa na sociedade. A superação da corrupção exige pessoas e partidos com perfil íntegro para o exercício do mandado publico. Convocamos a todos para que, através do Projeto de Lei de Iniciativa Popular sobre a Vida Pregressa dos Candidatos (Projeto Ficha Limpa), da Reforma Política e outras mobilizações, possamos garantir eleições regidas pela ética em 2010, fortalecendo a participação e garantindo a credibilidade dos processos democráticos. Nesse sentido, a Igreja oferece, por meio das escolas de Fé e Política, uma concreta e valiosa contribuição.

Que Nossa Senhora Aparecida, serva de Deus e da humanidade, ajude o povo brasileiro a combater a corrupção, cirando condições para uma sociedade justa e plenamente democrática.

Esperamos que esta nota da CNBB nos encoraje na evangelização em prol da ética na política. Nossa missão é defender a vida, a justiça, a dignidade da pessoa e os direitos humanos. Para isso vamos formar nossos fiéis na dimensão social do evangelho e prepará-los para assumirem funções políticas como lugar de evangelização.

fonte: CNBB

domingo, julho 05, 2009

Pascom

“Porque, se eu anuncio o Evangelho, não é para mim motivo de glória, é antes uma obrigação que me foi imposta: ai de mim, se eu não evangelizar!” (1 Cor 9,16)


sexta-feira, julho 03, 2009

Posse de Dom Henrique Soares, Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Aracaju



A Posse do novo Bispo Auxiliar de Aracaju, Dom Henrique Soares da Costa, será no dia 3 de julho, às 19h30 horas, com Missa Solene na Catedral Metropolitana. A Chegada de Dom Henrique está prevista para às 18 horas, no Aeroporto de Aracaju, todos estão convidados para recebê-lo.

quinta-feira, julho 02, 2009

O que é Cardeal, Bispo, Arcebispo, Cônego, Monsenhor?

Todos são ordenados, no grau máximo do sacramento da Ordem. Todos são bispos, palavra que deriva do grego epíscopos, que significa supervisor. Para chamá-los usa-se o título de Dom, abreviatura do latim dominus, senhor. Com o Papa à frente, os bispos do mundo inteiro formam o Colégio Apostólico, que sucede ao grupo dos apóstolos, os quais tinham a Pedro como seu líder. Assim, a Igreja é guiada pela história afora pelos mesmos pastores escolhidos por Jesus Cristo.

O Bispo é o pastor da Igreja particular, responsável pelo ensinamento da Palavra de Deus, pela celebração da Eucaristia e demais sacramentos e pela animação e organização dos carismas e ministérios do Povo de Deus. Ele é obrigado a fazer a visita “ad limina apostolorum” a Roma, e ao Papa, de quatro em quatro anos, quando então apresenta à Santa Sé um relatório de sua diocese e é recebido pelo Papa. Os bispos são, em suas dioceses, o princípio visível e o fundamento da unidade com as outras dioceses e com a Igreja universal. É obrigado pelo Código de Direito Canônico da Igreja a pedir renúncia ao completar 75 anos.

Arcebispo é o bispo de uma Arquidiocese, o titular da sede metropolitana, que é a diocese mais antiga de uma Província Eclesiástica, que é formada pelo conjunto de diversas dioceses. Ele é responsável pelo zelo da fé e da disciplina eclesiástica e pela presidência das reuniões dos bispos da Província. Mas não intervém diretamente na organização e na ação pastoral das demais dioceses (sufragâneas) da arquidiocese. O arcebispo usa, nos limites de sua Província, durante as funções litúrgicas, como sinal de unidade de sua Província com a Igreja em todo o mundo, o pálio, que lhe é entregue pelo Papa, no dia da festa de S. Pedro e S. Paulo, 29 de junho: uma faixa branca decorada de cruzes pretas que cobre os ombros, confeccionada com a lã de um cordeiro.
Cardeais são geralmente bispos de importantes dioceses do mundo. Mas também padres ou diáconos podem ser cardeais. São escolhidos pessoalmente pelo Papa, como representantes da Igreja em todo o mundo, para formarem o Colégio dos Cardeais. São responsáveis pela assessoria direta ao Papa na solução das questões organizativas e econômicas da Santa Sé, na coordenação dos diversos Dicastérios (uma espécie de ministério do Vaticano) que compõem o serviço da Santa Sé em favor da comunhão em toda a Igreja e da justiça para com os pobres do mundo todo. São também os responsáveis pela eleição do novo Papa enquanto não completarem 80 anos. A reunião dos Cardeais se chama Consistório e acontece quando o Papa a convoca.

PADRES, CÔNEGOS E MONSENHORES

Pelo sacramento da Ordem, não há nenhuma diferença entre padre, cônego ou monsenhor. Todos são ordenados, no segundo grau desse sacramento. Todos são presbíteros do Povo de Deus.
Hoje, os títulos de cônego e monsenhor são honorários e não indicam a posse de nenhum cargo ou posição na Igreja. Antes das reformas conciliares, eles formavam o cabido diocesano, para a função de conselheiros do bispo, o governo da diocese durante a vacância e o esplendor das funções litúrgicas na catedral. Hoje, o bispo conta com diversos Conselhos, que são formados por representantes de todo o clero e do laicato. Não contam os títulos, mas a disposição para o serviço comum e comunitário da evangelização. Hoje, cônego e monsenhor são títulos de homenagem e reconhecimento por serviços prestados à Igreja. Além disso, o título de monsenhor é também usado para o padre que foi eleito bispo. Enquanto ele não é ordenado bispo, é chamado de monsenhor.